Botion afirma que está preocupado com segurança da família após intervenção do transporte coletivo

 Coletiva de imprensa nesta segunda (17) explicou sobre o caso

 Após a intervenção no transporte coletivo de Limeira, a prefeitura de Limeira por meio de coletiva de imprensa, explicou a importância do ato. O prefeito Mario Botion, afirmou que a medida foi tomada para preservar o direito do trabalhador. “A intervenção foi necessária para manter o serviço e preservar os direitos dos trabalhadores.”

  Em coletiva, as autoridades ainda disseram que estavam sem o acesso do banco de dados da empresa, onde não conseguiam visualizar nenhuma informação, a partir de hoje a prefeitura conseguiu colocar em funcionamento o sistema, mas ainda não há acesso total ao sistema. Todos os custos da empresa Viação Limeirense, estão sendo mantidos pela prefeitura, após a intervenção. A prefeitura alegou que uma parte dos gastos são bancadas pelas próprias passagens de ônibus. “Toda a estrutura fica com a prefeitura e dura o quanto for necessário. Se não houvesse a intervenção, hoje não teríamos o transporte”, disse Botion.

 Em média, são gastos 500 mil reais por mês com a empresa, o que grande parte já era subsidiado. A prefeitura quer que todos os gastos que estão tendo para manter o transporte, volte para os cofres públicos. No contrato, são 133 veículos que fazem o transporte em Limeira, segundo a prefeitura. A previsão é de que pelo menos 60 dias a prefeitura mantenha a intervenção do transporte público, a empresa JTP, que assumiria hoje (17) o transporte público de Limeira, foi suspensa. O prefeito ainda disse que toma alguns cuidados com sua segurança pessoal e de sua família. “Não houve ameaças formais, o que há da nossa parte é uma preocupação com a minha segurança pessoal, com a segurança da minha família, isso me preocupa porque históricos nos deixaram muito preocupados e tomamos algumas precauções porque isso interfere não só o interesse da empresa, mas como dos funcionários. (Cauê Pixitelli)

Comments

comments