Por: Redação Notícia de Limeira | Publicado em 12 de julho de 2019

Compartilhe

 Texto-base atingiu 379 votos a favor e 131 contra

 O deputado federal Miguel Lombardi (PL) votou a favor do texto-base da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) da Previdência. A votação ocorreu na quarta-feira (10) e atingiu 379 votos a favor e 131 contra. Segundo depoimento de Lombardi, o seu voto foi pensando no compromisso e responsabilidade de votar em matérias legislativas que salvem o Brasil da recessão.

 “A nossa principal urgência hoje é tirar do desemprego 13,4 milhões de brasileiros. Votar a favor desta Proposta de Emenda à Constituição (PEC 06/2019) é um passo nesta direção. Sinaliza que estamos avançando. Porque a Nova Previdência não resolverá todos os nossos gargalos econômicos sociais. Contudo, ela demonstra que o atual Parlamento está disposto a pautar temas fundamentais para destravar o nosso país”, afirmou o deputado.

 De acordo com Miguel Lombardi, a Reforma Tributária, a Medida Provisória (MP) da Liberdade Econômica e o Pacto Federativo são temas que o Congresso Nacional tem a obrigação de liderar. Ele cita que são marcos legais que têm a capacidade de tornar o Estado brasileiro menos burocrático, mais eficiente na prestação do serviço público ao cidadão e ataca privilégios.

 “Aliás, ressalto aqui, que eu abri mão das vantagens da aposentadoria especial para deputados no ano de 2015. Ano que a pauta da reforma previdenciária sequer estava em voga. Era o primeiro ano do meu primeiro mandato na Câmara dos Deputados. Abri mão porque sempre achei essa regalia inadequada. A classe política, o poder Judiciário e as Forças Armadas não podem ter regras mais cômodas para se aposentar do que a maioria dos trabalhadores da iniciativa privada. A boa nova é que a PEC 06/2019 acaba com os privilégios dos políticos na hora de se aposentar”, enfatizou Miguel.

 O deputado finalizou dizendo que seu voto foi coerente e que não possui cargos no governo federal, no governo estadual e não recebeu nenhum outro benefício para votar na Nova Previdência.”É fato que este texto da PEC foi o possível de ser construído neste momento. Foi o mais próximo do consenso que chegamos. Cito isso porque durante o processo de votação que ainda continua, tenho três compromissos: buscar regras menos duras para professores na hora de se aposentar, garantir que nada mude no pagamento do Benefício de Prestação Continuada (BPC) para idosos e não permitir que pensionistas ganhem menos que um salário mínimo. São injustiças que precisam ser corrigida no texto-base da Nova Previdência. Muito obrigado e que Deus abençoe!”, disse Lombardi. (Rafael Coelho)


Compartilhe

Comentários

comentários