Por: Redação Notícia de Limeira | Publicado em 2 de dezembro de 2019

Compartilhe

A premiação é uma iniciativa do Instituto de Arquitetos do Brasil (IABSP)

Limeira foi premiada na categoria de projeto executado de Desenho Urbano e Arquitetura da Paisagem com o projeto arquitetônico Bosque do Tatu (Espaço Mundo da Criança), elaborado pelos arquitetos Fernando Henrique de Azevedo e Paula Peruchi Cabral, do Departamento de Projetos e Orçamento, da Secretaria de Urbanismo. A premiação é uma iniciativa do Instituto de Arquitetos do Brasil (IABSP).  O projeto arquitetônico Bosque do Tatu é uma intervenção de baixo custo e parte do conceito de reutilização de materiais disponíveis nos depósitos da Prefeitura. Foram utilizados brinquedos remanescentes da demolição de um antigo parque desativado, paralelepípedos removidos de vias que foram asfaltadas, postes de madeira que foram substituídos por postes de concreto, e toras de madeira de brinquedos danificados.

A partir da necessidade de um espaço infantil, o Bosque do Tatu foi construído na área central do Horto Florestal de Limeira, próximo a um conjunto de sanitários existentes. A localização também é próxima ao Zoológico do local, possibilitando que as visitas ao zoo pudessem ser finalizadas com um passeio pelo bosque. O nome do local homenageia o tatu enquanto animal que faz parte da história da cidade desde seu surgimento, sendo Nossa Senhora das Dores do Tatuibi o primeiro nome dado ao município de Limeira. Atualmente diversos elementos locais são nomeados como referência ao animal, como o Bairro do Tatu e o Ribeirão Tatu, que corta a cidade no sentido norte-sul.

Reforçando o caráter ecológico do nome escolhido para o bosque, foram propostos espaços inspirados em animais com ocorrência no Cerrado do interior do estado de São Paulo, de tal modo que os usuários pudessem aprender indiretamente sobre os biomas originais de Limeira onde o Tatu se insere, sendo eles: o Espinheiro do Ouriço-Cacheiro; o Labirinto das Formigas; o Percurso da Jiboia e o Morro do Jabuti; o Poleiro das Corujas; e o Mirante das Aves. Outros elementos concebidos com materiais de reaproveitamento foram os bebedouros,?construídos com paralelepípedos; os bancos feitos com toras de madeira provenientes de eucaliptos que estavam na área do projeto e foram suprimidos por risco de queda; e os pórticos de acesso, feitos com postes de madeira antigos.

ESTRUTURA

Para evidenciar que os materiais foram provenientes de reutilização, facilitando a leitura da proposta pelos usuários e mantendo sua memória, os?objetos?provenientes de reaproveitamento tiveram mantidas suas marcas de uso anterior, como plaquetas de identificação dos postes e marcas de pintura de sinalização nos paralelepípedos.

O bosque onde o projeto está implantando foi ampliado com o plantio de cinquenta árvores nativas para maior sombreamento, incluindo um pomar que fornece frutos para o consumo dos visitantes e também espécies que atraem pássaros e outros animais. As árvores foram provenientes do Viveiro Municipal, que as recebe como contrapartida em processos de regularização de edificações irregulares. O preparo do solo também utilizou serrapilheira produzida pela Prefeitura com utilização de restos de poda de arborização urbana.

O Instituto de Arquitetos do Brasil é uma entidade sem fins lucrativos que se dedica a temas essenciais ao arquiteto, à cultura arquitetônica e urbanística e à sociedade. Fundado em 1943, o departamento de São Paulo (IABSP) promove diversas atividades, como debates, palestras, cursos, oficinas, projeção de filmes, além da premiação e da Bienal de Arquitetura.

O prêmio IABSP tem a finalidade de identificar os avanços e os desafios enfrentados na produção arquitetônica e urbanística contemporâneas em nível nacional, de modo a reconhecer as propostas engenhosas e significativas, sobretudo aquelas que venham a contribuir efetivamente para o desenvolvimento da técnica, do conhecimento e do ambiente construído em diálogo com a natureza, a sociedade, a economia e a cultura. (Da redação portal Notícia de Limeira)


Compartilhe

Comentários

comentários