Por: Redação Notícia de Limeira | Publicado em 22 de janeiro de 2020

Compartilhe

 Doença não era registrada no Brasil há 20 anos

 Um homem de 52 anos, morador de Sorocaba (SP), morreu no último dia 11 de janeiro, vítima de uma doença que não era registrada no Brasil nos últimos 20 anos: a febre hemorrágica. A informação foi divulgada nesta segunda-feira (20) pelo Ministério da Saúde. Segundo a pasta, a doença é causada por contaminação do arenavírus.

 De acordo com o Ministério da Saúde, o homem começou a apresentar os sintomas no dia 30 de dezembro de 2019 e foi atendido em três hospitais: em Eldorado (SP), Pariquera-Açu (SP) e São Paulo, até morrer por complicações da doença em um hospital de São Paulo, no dia 11 de janeiro.

 Ainda de acordo com o ministério, agentes da pasta irão visitar duas cidades em que a vítima teria frequentado recentemente antes da sua morte, para fazer novas análises sobre a doença. O homem teria passado 15 dias na casa dos sogros que moram na zona rural de Itaporanga (SP) e nos dias 21 e 22 de dezembro, ele teria visitado os filhos em Itapeva (SP).

 Resultados de testes realizados por um hospital confirmaram que o vírus encontrado na vítima se trata do Mammarenavirus, um gênero pertencente à família Arenaviridae, ou arenavírus.

 Os sintomas começam com febre, mal-estar, dores musculares, manchas vermelhas na pele, dores na garganta, no estômago, atrás dos olhos e na cabeça, sensibilidade à luz, constipação, tonturas e sangramentos na boca e no nariz. Se o quadro evolui, há consequências neurológicas, como sonolência, confusão mental, mudanças no comportamento e convulsão.

 O Ministério da Saúde informou que o caso encontrado é grave, mas não há necessidade de pânico, já que tudo está sendo feito para conter a ameaça em sua origem. A pasta orienta as pessoas a estarem atentas aos sintomas da doença. (Rafael Coelho)


Compartilhe

Comentários

comentários