Por: Redação Notícia de Limeira | Publicado em 5 de fevereiro de 2019

Compartilhe

Vereadores também aprovam homenagem a Florindo Baptistella

 Os vereadores aprovaram, na sessão ordinária de 4 de fevereiro, projeto de resolução que altera o Regimento Interno e define os horários de funcionamento das Comissões Permanentes da Câmara Municipal de Limeira. De autoria da Mesa Diretora, o Projeto de Resolução Nº 2/2019 foi apreciado em regime de urgência especial e recebeu votação favorável de todos os vereadores.

 De acordo com o novo texto, a Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) e a Comissão de Orçamento, Finanças, Contabilidade e Administração Pública vão se reunir às quartas-feiras, respectivamente às 9 horas e 14 horas.

 Já as demais comissões vão se reunir às quintas-feiras: Controle e Fiscalização dos Atos do Poder Executivo (8h30); Saúde, Lazer, Esporte e Turismo (9h30); Defesa dos Direitos Humanos, dos Direitos do Consumidor, dos Direitos da Criança e do Adolescente e dos Direitos do Idoso (10h30); Obras, Serviços Públicos, Planejamento, Uso, Ocupação e Parcelamento do Solo (14h); Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (15h); e Educação e Cultura (16h).

 O presidente da Câmara, Lemão da Jeová Rafá (PSC), lembrou ainda que os horários podem ser flexibilizados dentro do período indicado.

 Homenagem

 O Projeto de Lei Nº 244/2017, do vereador Wagner Barbosa (PSB), que dá nome de Florindo Baptistella para a praça localizada na rua da Imprensa, no Parque Novo Mundo, também foi aprovado por unanimidade na sessão ordinária desta segunda-feira, 4 de fevereiro. O homenageado é fundador da Cerâmica Batistella, iniciada como uma pequena olaria, em 1947.

 Conforme a justificativa do vereador a família, oriunda de Cordeirópolis, mudou-se para Limeira em 1925. A propriedade onde morava era vizinha de uma olaria e logo cedo fez nascer nele a paixão pelo setor da construção. A fábrica começou pequena, com 500 tijolos por dia, na propriedade que ficava próxima à chácara da família.

 Em 1980, Florindo comprou máquinas que promoveriam uma grande mudança na olaria. Começou a produzir então tijolos de 11 furos, um produto com uma grande demanda. “Seis anos depois, por influência de funcionários vindos de Santa Gertrudes, abraçou o ramo da cerâmica. Em pouco tempo, os pisos e revestimentos da Cerâmica Batistella passaram a figurar entre os mais vendidos do país”, descreveu o autor da homenagem.


Compartilhe

Comentários

comentários