Por: Redação Notícia de Limeira | Publicado em 18 de março de 2019

Compartilhe

 Os sindicatos pleiteiam um reajuste de 12% nos salários

 Num cenário de crise e de dificuldades financeiras, a Prefeitura já superou o limite prudencial de gastos com a folha de pagamento de servidores municipais. Segundo números oficiais, as despesas financeiras atingiram 52% do orçamento. O chamado limite prudencial é de 51,3%, enquanto que o teto constitucional é de 54%. Apesar desse quadro, a atual administração vem se esforçando para manter a folha dos servidores sem atrasos.

 Atualizados, os números a respeito da folha são verificados no momento que a Mesa de Negociação do dissídio coletivo do servidor está se reunindo com sindicatos que representam os trabalhadores. Os sindicatos pleiteiam um reajuste de 12% nos salários.

 O gasto financeiro de 52% reúne algumas variáveis, tais como: a folha de pagamento, despesas com vale-refeição, com plano médico dos servidores, e com repasses para o Instituto de Previdência Municipal de Limeira (IPML). Tal situação indica que a margem de manobra da Prefeitura em relação a essas despesas é praticamente nula.

 A atual administração iniciou 2019 com expectativa de avanços na arrecadação, porém, a recuperação econômica do país segue em ritmo bastante lento – o que resulta num quadro ainda bastante crítico nas finanças públicas.

 Além disso, a Prefeitura ainda amarga o fato de em 2018 o município ter apresentado uma frustração financeira (valores de impostos previstos para recebimento, mas que não se confirmaram) de R$ 80 milhões. (Da redação portal Notícia de Limeira)


Compartilhe

Comentários

comentários