Por: Redação Notícia de Limeira | Publicado em 10 de junho de 2020

Compartilhe

 A campanha intensifica as ações de fiscalização quanto ao uso do cerol e linha chilena

 A Prefeitura de Limeira lançou nesta quarta-feira (10), oficialmente, a campanha “O cerol corta vidas”, campanha de conscientização contra o uso de linhas cortantes no município. Realizada geralmente no período de férias, a iniciativa foi antecipada para este mês devido à pandemia e ao registro de acidentes envolvendo o material, que é ilegal. A campanha, que envolve a Ronda Escolar da Guarda Civil Municipal (GCM), com apoio da Polícia Militar, intensifica as ações de fiscalização quanto ao uso do cerol e linha chilena.

 O anúncio foi feito por meio de uma transmissão ao vivo na página da prefeitura no Facebook conduzida pelo prefeito Mario Botion e com participação do secretário de Segurança Pública e Defesa Civil, Francisco Alves, e do comandante do 36º Batalhão da Polícia Militar, o major Adriano Vieira Braz. A live foi acompanhada pelo vereador José Roberto Bernardo, o Zé da Mix, e GCMs que fazem parte da ronda escolar.

 “Agradeço o trabalho sempre muito proativo da ronda escolar, em especial na campanha contra a utilização do cerol”, destacou o chefe do Executivo, inicialmente. Conforme Botion, a importância da iniciativa está, principalmente, na conscientização dos pais e comerciantes. “O cerol traz prejuízos para todos, para quem usa, para os pais, para pedestres e, principalmente, condutores de motocicleta. Estamos falando de vidas”, enfatizou.

 O major Vieira citou as parcerias entre a prefeitura e a PM em diversas ações que visam, principalmente, garantir a segurança da população. “Não poderíamos deixar de participar de uma iniciativa como essa do poder público, uma vez que a PM é compromissada com a defesa da vida, da integridade física e da dignidade das pessoas”, disse. “O objetivo é proteger vida e a PM e a prefeitura juntam forças para atingir essa missão”, completou o comandante da PM.

 O prefeito Mario Botion também anunciou que os alunos da rede municipal receberão um material orientativo sobre a campanha, junto dos conteúdos didáticos que têm recebido durante o período de suspensão das aulas, por conta da pandemia. “Nossos alunos recebem anualmente as palestras referentes a esse tema e, como isso não é possível no momento, eles terão, em casa, os materiais de conscientização”, informou.

 Durante a transmissão, foi exibido um vídeo, produzido pela Secretaria de Comunicação Social, com um resumo do trabalho, que é feito dentro do projeto Educar Limeira, lançado em 2017 pela atual administração. Os alunos da rede municipal são conscientizados regularmente sobre o uso de material cortante em linhas de pipa, entre outros assuntos. Inclusive, fazem um juramento em que prometem não utilizar linhas de cerol ou chilena.

 LEGISLAÇÃO

 O chefe do Executivo lembrou, durante a live, que já existe uma lei que proíbe a industrialização, a comercialização, o armazenamento e a distribuição de linhas cortantes como o cerol e a chilena. No entanto, um projeto de lei do vereador Zé da Mix, aprovado na última sessão ordinária da Câmara Municipal, endurece as restrições e punições previstas e também inclui a utilização de linha cortante como proibição.

 No caso de descumprimento da lei, serão aplicadas multas ao infrator no valor de 100 Ufesps, que equivale a R$ 2.761, e a cada reincidência o valor da multa será em dobro. Caso a infração seja cometida por menor de idade, os pais ou responsáveis legais serão responsabilizados. Além disso, os comerciantes de pipas ou linhas devem fixar placas informando sobre as proibições estabelecidas na lei.

 “É importante que os pais e responsáveis acompanhem seus filhos e os conscientizem quanto aos perigos do uso do cerol e da linha chilena. A linha cortante é uma arma perigosa para todos”, finalizou o prefeito Mario Botion. Denúncias sobre o uso ou comercialização de cerol, linhas chilenas ou outros materiais cortantes podem ser feitas pelo canal 153, da GCM. (Da redação portal Notícia de Limeira)


Compartilhe

Comentários

comentários