Por: Redação Notícia de Limeira | Publicado em 2 de julho de 2020

Compartilhe

 Nos dois casos, a promotora Débora Bertolini Ferreira Simonetti rejeitou a tese de irregularidades apontadas

 O Ministério Público (MP) indeferiu duas representações feitas por vereadores de Limeira contra atos tomados pelo governo Mario Botion. Nos dois casos, a promotora Débora Bertolini Ferreira Simonetti rejeitou a tese de irregularidades apontadas pelas parlamentares Carolina Pontes e Constância Félix.

 No primeiro caso, a promotora considerou correto o procedimento de compra de ovos de Páscoa pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Educação, para distribuição aos alunos da rede municipal.

 A vereadora Carolina havia apontado compra de itens acima do necessário, mas, a partir de explicações feitas pela Secretaria de Educação, a promotora entendeu que o procedimento do governo foi correto e legal.

 As aquisições ocorreram num percentual de 10% acima do total de alunos, algo considerado lícito pela Promotoria. O MP sustentou (com base nas informações recebidas e nos documentos) que itens do produto poderiam quebrar, quando de sua entrega ao município, além da variação ser justificada pelo acréscimo de estudantes na rede municipal.

 No outro caso, a vereadora Constância questionou um nomeação para cargo comissionado de uma servidora. Novamente, a Promotoria rejeitou a denúncia e alegou que o prefeito tem competência, respaldada em legislação, para efetuar nomeações. (Da redação portal Notícia de Limeira)


Compartilhe

Comentários

comentários