Por: Redação Notícia de Limeira | Publicado em 9 de julho de 2020

Compartilhe

 Dirigente elogia ações, mas pede flexibilização das atividades comerciais e do pagamento de IPTU

 A situação econômica das indústrias e do comércio de Limeira foi tema de reunião entre a Frente Parlamentar de Ações Preventivas e Impactos Econômicos da Câmara e os diretores do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp), nesta quinta-feira (09). Além dos vereadores integrantes do colegiado, estiveram presentes Jairo Ribeiro Filho (presidente), Renato Laranjeira (primeiro vice-presidente) e  Marcos Antonio Ribeiro Bozza (segundo vice-presidente).

 Ribeiro destacou os problemas gerados com a suspensão das atividades comerciais de forma presencial, que acabaram influenciando a indústria. Ele ressaltou que a criação de um grupo interno para compartilhar experiências e pensar coletivamente, logo no início da pandemia, foi importante para amenizar os problemas. “Mesmo assim, o fechamento de empresas e comércios é muito expressivo”, frisou.

 O presidente da Ciesp elogiou as medidas tomadas pelo Governo Federal, como o auxílio emergencial para milhões de brasileiros e o pagamento da folha das empresas, e apresentou um prognóstico positivo para o futuro do país. “Estão sendo feitas muitas coisas positivas, de forma rápida, surpreendente. É uma eficiência de dar orgulho para nós. O Brasil terá uma saída muito diferente da crise do que os outros países, não tenho dúvida disso”, disse.

 No entanto, o empresário alertou que algumas linhas de crédito de apoio às indústrias e ao comércio estão com dificuldade de chegar na ponta. “O crédito do Pronampe [Programa de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte] não está chegando no bolso do empresário”, afirmou.

 Flexibilização

 Ribeiro falou aos vereadores sobre a preocupação em relação ao fechamento do comércio e sugeriu à Frente ajudar a Prefeitura a definir melhor os critérios de suspensão das atividades. Nesse sentido, ele vê um contrassenso os supermercados e varejões estarem abertos e lotados e as lojas vazias. “Tudo isso mostra que a gente tem que ser um pouco mais seletivos e dar uma flexibilidade maior para o comércio”, disse. Por outro lado, também reconheceu a preocupação e o trabalho da Secretaria de Saúde em garantir as medidas de segurança sanitárias e as condições de tratamento para a população. “Temos que encontrar um meio termo”, defendeu.

 Em relação às indústrias de Limeira, o presidente da Ciesp informou que a maioria está operando e funcionado com protocolos de segurança definidos pela Secretaria de Saúde, o que inclui encaminhamento de casos suspeitos, testagem e quarentena em caso positivo. “O rebate do comércio volta para a indústria, mas nós não estamos proibidos de operar. A indústria de modo geral tem conseguido caminhar a duras penas”, avaliou. “A queda em torno de 30 a 35% é regra, ou seja, em torno de um terço do faturamento, então todo mundo está se equilibrando.”

 Ele afirmou ainda que há um bom relacionamento com os sindicatos dos trabalhadores.

 Demandas

 Ribeiro ainda apontou que um dos principais problemas vividos atualmente pelo setor produtivo, em especial os restaurantes, é o pagamento do IPTU. Ele explicou que diversos proprietários de imóveis estão flexibilizando aluguéis e que os governos estadual e federal estão prorrogando impostos. Mas, segundo ele, no município não está havendo atitude semelhante. Nesse sentido, ele pediu apoio à Frente a fim de conquistar uma mudança no pagamento do imposto municipal.

 Outra proposta do dirigente é unir a iniciativa privada, a Câmara e a Prefeitura para discutir e tomar decisões conjuntas.

 O representante da indústria de Limeira se comprometeu ainda em encaminhar por ofício uma lista com as principais reivindicações do setor.

 O presidente da frente parlamentar, vereador Wagner Barbosa (PTB), mais uma vez, colocou o colegiado à disposição das representações dos setor produtivo e do setor comercial. “O objetivo é somar forças para resolver os problemas de Limeira”, definiu.

 A Frente Parlamentar de Ações Preventivas e Impactos Econômicos da Covid-19 foi constituída em 28 de maio, por meio do Ato da Mesa Nº 9/2020, e é integrada pelos vereadores: Wagner Barbosa (PTB), Carolina Pontes (PSDB), Mir do Lanche (PL),  Clayton Silva (PTC), Constância Félix (PTB), Erika Tank (PL), Estevão Nogueira (PSC), Helder do Táxi (MDB), Zé da Mix (PSD), Lu Bogo (PL), Nilton Santos (Republicanos) e  Dr. Rafael Camargo (MDB). A reunião seguinte será realizada na próxima quinta-feira (16). (Da redação portal Notícia de Limeira)


Compartilhe

Comentários

comentários