Por: Redação Notícia de Limeira | Publicado em 10 de julho de 2020

Compartilhe

 Nesse novo cenário, há também um espaço cada vez maior para a arte do improviso

 Em tempos de pandemia, as atividades culturais realizadas pela Prefeitura de Limeira estão sendo cada vez mais adaptadas para versões online. Nesse novo cenário, há também um espaço cada vez maior para a arte do improviso. É o que vem ocorrendo, por exemplo, com as aulas voltadas para o aprendizado musical com instrumentos.

 Professora de violino e membro da Orquestra Sinfônica de Limeira há 25 anos, a violinista Aline Cristina Nava Müller relata que vem experimentando uma situação inédita com alunos que aprendem a tocar o instrumento. Ela é professora da Escola Livre de Música (ELM) e também da Casa de Cultura 2 – este último, um dos núcleos da Secretaria de Cultura.

 Segundo Aline, nas aulas presenciais, seus alunos – boa parte de famílias de baixa renda – utilizam-se de instrumentos pertencentes ao município. “Como o volino é um instrumento mais caro e muitos não o possuem, estamos improvisando bastante o aprendizado”, explica. “O objetivo é manter o vínculo e o interesse do aluno pelas aulas”, observa Aline, que tem aproximadamente 50 alunos divididos em seis turmas que estudam o instrumento.

 CAIXA DE OVO

 Uma das formas encontradas por Aline para aprimorar a postura e a adaptação dos movimentos com o violino, foi recorrer a caixas de ovos ou formas de gelo. “Nesses objetos, os alunos fazem o movimento como se estivessem de posse do instrumento musical”, explica.

 Davi Ferraz Moreira Januário, de 7 anos, que mora no Jardim Nova Suiça, por exemplo, está praticando as aulas com uma caixa de ovos. Ele é aluno da Casa de Cultura 2. Já Sofia Carvalho, de 10 anos, do Parque Novo Mundo, ampliou a improvisação. Ela “construiu” um violino utilizando-se de caixas de pastas de dente, caixas de leite e barbante. “É gratificante ver todo esse empenho”, relata a professora.

 “Eu envio vídeos meus tocando e com as explicações, e eles me passam vídeos deles tocando o conteúdo que passei”, relata. “Aí no horário que eu estaria dando as aulas presenciais fico de plantão no WhatsApp para tirar todas as dúvidas”, relata.

 O prefeito Mario Botion elogiou todo esse processo. “É exemplar esse esforço tanto dos professores quanto dos alunos nesses tempos que estamos vivendo”, afirma. “As aulas realizadas de forma online demonstram que nossas atividades culturais se mantém em atividade”, observa o prefeito.

 A professora Aline considera que, apesar do improviso com caixas de ovos e formas de gelo, o retorno está sendo bastante positivo da parte dos alunos. Já as aulas teóricas são passadas aos alunos por meio de arquivos de PDF.

 Aline relata que as aulas musicais online também estão sendo oferecidas por outros professores. Porém, em boa parte dos casos o acompanhamento é com os instrumentos que apresentam custos mais baixos e que muitos alunos possuem em suas residências – como é o caso do violão. (Da redação portal Notícia de Limeira)


Compartilhe

Comentários

comentários