Por: Redação Notícia de Limeira | Publicado em 14 de julho de 2020

Compartilhe

 Os leitos já estarão disponíveis a partir desta quarta-feira (15)

 A Prefeitura de Limeira avança na estrutura de saúde para acolher os pacientes de Covid-19. O prefeito Mario Botion anunciou nesta terça-feira (14), em entrevista coletiva online no Paço Municipal (Edifício Prada), a criação de mais 12 leitos clínicos na Unidade de Referência Coronavírus (URC), no hospital Humanitária. Os leitos já estarão disponíveis a partir de amanhã (15). “Estamos em guerra contra um inimigo que pouco conhecemos, conforme ele evolui, vamos tomando novas medidas para a prevenção e para o cuidado com a saúde e com a vida das pessoas”, frisou o prefeito. A coletiva teve participação do secretário de Saúde, Vitor Santos, e do diretor de Vigilância em Saúde, Alexandre Ferrari.

 Com a ampliação, o número de leitos clínicos na URC passará dos atuais 33 para 45, que somados aos 30 leitos de UTI já existentes, totalizarão 75 vagas de internação. Apesar de todas as dificuldades financeiras, de contratação de profissionais e para obtenção de equipamentos, seguem intensas as medidas para aumentar a capacidade de atendimento. Botion informou que ao longo da semana, a prefeitura iniciará a instalação de outros oito leitos de UTI, todos com respiradores, monitores e demais insumos necessários. “Teremos um número razoável de leitos para os casos agravados de Covid-19”, disse.

 Botion também destacou o esforço da prefeitura para adequar a rede de assistência – trabalho desenvolvido em parceria com os hospitais Humanitária, Unimed, Medical e Santa Casa, e sob orientação do Grupo Técnico de Prevenção e Enfrentamento ao Coronavírus. Nesse contexto, a Humanitária transformou-se em hospital de referência para coronavírus. E na semana passada, entrou em operação o Ambulatório Referência de Combate ao Coronavírus (ARC), estrutura montada ao lado da Humanitária, com consultórios, área para realização de testes e farmácia para dispensação de medicamentos.

 AJUDA DA POPULAÇÃO

 Mesmo com todas essas melhorias, o chefe do Executivo observou que é fundamental a colaboração dos munícipes. “Sem disciplina e responsabilidade no afastamento social não há estrutura que suporte”, disse. Botion reforçou a necessidade do uso das máscaras e da intensificação da limpeza das mãos. Por parte dos estabelecimentos comerciais, citou a importância do respeito ao funcionamento limitado a 20% da capacidade de atendimento, conforme prevê o decreto estadual.

 MAIS INFORMAÇÕES

 Durante a coletiva, também houve a apresentação da nova peça publicitária, que irá orientar a população quanto aos sintomas do coronavírus. Em caso de febre, tosse, diarreia, perda de olfato, dor de cabeça ou dores no corpo, a recomendação é procurar uma das quatro Unidades Básicas de Saúde (UBSs) de referência (Morro Azul, Boa Vista, Nova Europa e Jd. Novo Horizonte), além das unidades de Pronto Atendimento, do Ambulatório Referência de Combate ao Coronavírus (ARC) e Pronto-Socorro dos hospitais. Se além desses sintomas, o paciente apresentar falta de ar, ele deverá dirigir-se imediatamente à Humanitária, às unidades de Pronto Atendimento, à UPA 24 horas do Abílio Pedro, ao Pronto-Socorro dos hospitais ou acionar o Samu, pelo 192.

 Paralelamente à intensificação das campanhas de orientação e prevenção, Botion enfatizou que o município irá “endurecer” a fiscalização para o cumprimento de todos os regramentos. Esse trabalho conta com o envolvimento de diversas secretarias municipais, da Guarda Civil Municipal, da Polícia Militar e da Polícia Civil.

 RESPONSABILIDADE

 Sobre essas normativas, Vitor Santos observou que a população limeirense não tem respeitado como deveria o isolamento social. “Desde o início da pandemia não conseguimos alterar a marca de 50% das pessoas que estão circulando em relação as que estão em casa”, frisou. O secretário alertou para a responsabilidade de cada munícipe, no sentido de evitar sair de casa sem necessidade, sobretudo pelo fato de que 80% dos contaminados pelo coronavírus não apresentam sintomas da doença, mas poderão transmitir o vírus aos demais, aumentando a frequência e a velocidade de contaminação.

 Quanto aos testes, Vitor Santos comentou que nem sempre é necessário aguardar o seu resultado para iniciar o tratamento. Frente a sintomas que sugerem a presença do coronavírus, ele disse que o médico poderá fazer a prescrição e começar o tratamento. O secretário informou, ainda, que a prefeitura disponibiliza os medicamentos usados como alternativa ao tratamento da Covid-19 e que nos próximos dias irá ampliar o número de exames para identificação do vírus. (Da redação portal Notícia de Limeira)


Compartilhe

Comentários

comentários