Por: Redação Notícia de Limeira | Publicado em 27 de agosto de 2020

Compartilhe

 Eles são responsáveis pelas visitas aos imóveis do município, de segunda a sexta-feira, além de ações de bloqueio, e mutirões aos sábados

 A Prefeitura de Limeira, por meio da Divisão de Controle de Zoonoses, reforça que os agentes de combate e controle ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya, fazem um trabalho fundamental à saúde pública no município. Eles são responsáveis pelas visitas aos imóveis do município, de segunda a sexta-feira, além de ações de bloqueio, e mutirões aos sábados.

 Somente neste ano, até julho, foram 229.888 domicílios visitados e 21 mutirões. Os agentes também executaram 26.478 ações de bloqueio com nebulização e outras 62.620 ações de controle de criadouros e focos do mosquito. Também foram realizadas, somente em 2020, sete limpezas compulsórias em imóveis do município.

 Conforme a Zoonoses, os agentes estão sempre uniformizados, com camiseta e colete azul, com o selo de combate ao Aedes aegypti e brasão da prefeitura (na manga). Eles também estão de crachá de identificação, com foto, nome e brasão da prefeitura. Em caso de dúvidas, a população pode ligar nos telefones 3441-3548 ou 3451-3546 para confirmar a identidade do agente. A orientação é que o munícipe acompanhe o servidor durante a visita em todas as dependências da casa.

 Segundo a chefe da Divisão de Zoonoses, Pedrina Costa, devido à pandemia, os agentes seguem todos os protocolos sanitários, usam máscaras e respeitam o distanciamento. Pedrina também cita que todas as ações estão intensificadas, incluindo as desenvolvidas pelos agentes comunitários de saúde em suas áreas de atuação, além de ações de mídia, como outdoors, meios de comunicação e mídias sociais, para informar a população.

 Os números comprovam a necessidade do trabalho dos agentes, bem como o auxílio da população no combate à dengue. Até o momento, Limeira registrou 1.418 casos confirmados da doença por exame e outros 198 por critério clínico. O número é maior do que o registrado durante todo o ano passado, com 1.031 confirmações. Não há casos positivos de zika ou chikungunya. (Da redação portal Notícia de Limeira)


Compartilhe

Comentários

comentários