Por: Redação Notícia de Limeira | Publicado em 2 de outubro de 2020

Compartilhe

 Desde quinta-feira (1º), o atendimento do ARC é realizado na mesma estrutura da URC, dentro do Hospital Humanitária

 Desde o início da pandemia, a Prefeitura de Limeira estruturou a rede municipal de saúde para o acolhimento, notificação, tratamento e encaminhamentos necessários para assistência de qualquer munícipe que apresente sintomas de Covid-19. Nesta sexta-feira (2), a rede de Saúde do município chegou aos 30 mil atendimentos em todos os equipamentos públicos disponibilizados: Unidade de Referência Coronavírus (URC), unidades básicas de saúde (UBSs) que foram transformadas em Polos de Coronavírus – do Jardim Novo Horizonte, Boa Vista, Nova Europa e Morro Azul, Ambulatório de Referência Coronavírus (ARC), Prontos Atendimentos (PAs) Infantil, do Aeroporto, Parque Hipólito e Unidade de Pronto Atendimento (UPA) 24 horas do Parque Abílio Pedro.

 Com o suporte do grupo técnico, formado por médicos de todos os hospitais de Limeira e representantes de várias secretarias, desde antes da declaração de pandemia no Brasil, o município tem conseguido prestar atendimento de qualidade a todos que precisaram, sem necessidade de fazer encaminhamentos a outros municípios, nem mesmo com relação a internações. Também não faltaram medicamentos. Até mesmo os chamados off label continuam à disposição para dispensação quando houver prescrição médica.

 POR UNIDADE

 Nas quatro UBSs que, de março até a primeira quinzena de setembro, funcionaram como polos para atendimento de pacientes com sintomas leves de coronavírus, foram 7.610 atendimentos no total. Pelos números, é possível identificar o aumento da demanda entre os meses de junho e julho. Em março, as quatro unidades fizeram 394 atendimentos; em abril foram 247; em maio 270; depois em junho foram 1.588 e, em julho, saltou para 3.373. Em agosto, a demanda caiu pela metade: 1.577 e, em setembro, as unidades também tiveram menos atendimentos (161) por deixarem de ser referência para Covid-19 na metade no mês.

 O ARC manteve o atendimento ambulatorial dos pacientes com síndrome gripal. A estrutura montada ao redor do Hospital Humanitária começou a funcionar no período de pico de contaminações e de busca por atendimento médico. Em julho, foram 2.808 atendimentos; em agosto, 2.997 e, em setembro, até dia 29, foram 2.403. Desde quinta-feira (1º), o atendimento do ARC é realizado na mesma estrutura da URC, dentro do Hospital Humanitária.

 A URC faz o atendimento ambulatorial e de urgência e emergência exclusivo para os casos de Covid-19 desde 13 de abril. Até o último dia 30, foram feitos 12.460 atendimentos no total. A URC tem sido referência por ser resultado da união de esforços de todos os hospitais da cidade, públicos e privados, em conjunto com o poder público.

 Paralelamente, os PAs também fizeram atendimento de pacientes com sintomas de coronavírus. Até o momento, foram 337 no PA do Jardim Aeroporto; 363 no PA do Parque Hipólito; 34 no PA Infantil e 592 na UPA 24 horas. (Da redação portal Notícia de Limeira)


Compartilhe

Comentários

comentários