Por: Redação Notícia de Limeira | Publicado em 23 de dezembro de 2020

Compartilhe

 Evolução também é percebida em outros rios e córregos da cidade

 Desde 2010, Limeira tem os serviços de esgoto universalizados, ou seja, 100% do esgoto gerado na área urbana do município é coletado e tratado. Uma condição bastante diferenciada da maioria das cidades brasileiras já que, de acordo com dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), apenas 49,1% do esgoto recebe tratamento no país.

 O diferencial de Limeira garante que os efluentes gerados na cidade sejam devolvidos tratados para os mananciais que cercam a cidade, contribuindo assim para o meio ambiente e para a saúde da população.

 “Quando o esgoto é despejado nos rios sem tratamento, ele altera a composição natural daquele ecossistema, trazendo danos para a fauna e a flora aquática e os seres humanos que vivem no entorno. Por isso, é de extrema importância o trabalho que realizamos na cidade”, explica Rogério Lima, gerente de operações da BRK Ambiental em Limeira.

 Após a obra de ampliação e modernização da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) Tatu, a concessionária iniciou a operação de um sistema de tratamento em nível terciário, com remoções de matéria orgânica (95%) em uma vazão média de 650 l/s, o que representa 80% do esgoto coletado em Limeira.

 No total, R$ 120 milhões foram investidos nessa obra que contribuiu para elevar a eficiência do tratamento de esgoto para 97,6%, somente no ribeirão Tatu. Isso significa devolver um efluente mais limpo para o manancial.

 “Ao atingirmos essa eficiência percebemos uma expressiva melhora na qualidade da água do ribeirão Tatu. O oxigênio dissolvido, parâmetro utilizado para verificar a possibilidade de vida no manancial, está acima de 5,0 mg/L no corpo d’água, passando a ter características de rio Classe II. Portanto, contribuindo para o desenvolvimento da vida aquática e o meio ambiente no local”, explica Lima.

 Além disso, ao considerar a qualidade de todo o esgoto coletado e tratado no município de Limeira, nas três estações em operação – ETE Tatu, ETE Água da Serra e ETE Lopes, a atual eficiência média (96,4%) já se encontra superior ao estabelecido pela legislação.

 Com os serviços de esgotamento sanitário universalizados no município, somente entre janeiro e novembro de 2020, 15 bilhões de litros de esgoto sem tratamento deixaram de ser despejados nos rios e córregos de Limeira.

 Lixo na rede de esgoto

 É importante reforçar que o sistema de coleta de esgoto foi projetado para receber 99% de material líquido e somente 1% de sólidos. Por isso, é de extrema importância que lixos não sejam descartados na rede de esgoto para evitar que ocorram obstruções na rede e possíveis vazamentos que podem causar transtornos aos moradores e também ao meio ambiente. Para mais informações sobre o assunto, acesse: https://blog.brkambiental.com.br/esgoto-nao-e-lixeira/ (Da redação portal Notícia de Limeira)


Compartilhe

Comentários

comentários