Por: Redação Notícia de Limeira | Publicado em 1 de março de 2021

Compartilhe

 O benefício eventual será concedido por meio de cartão magnético que deverá ser utilizado exclusivamente para aquisição de gêneros alimentícios de primeira necessidade

 A Prefeitura de Limeira protocolou nesta segunda-feira (01) na Câmara Municipal projeto de lei que trata sobre a implantação do Cartão Alimentar para famílias que efetivamente residem em Limeira, em situação pobreza e de extrema pobreza e que tenham preferencialmente em sua composição criança, adolescente, pessoa com deficiência, idoso e mulher. O cartão vai substituir a cesta básica destinada pelo Ceprosom à população carente. De acordo com a proposta, o benefício eventual será concedido por meio de cartão magnético que deverá ser utilizado exclusivamente para aquisição de gêneros alimentícios de primeira necessidade. “O Cartão Alimentar vai proporcionar maior autonomia e segurança aos beneficiários para a aquisição de gêneros alimentícios de primeira necessidade. A medida também vai fomentar a atividade econômica local, pois a compra dos produtos deverá ser feita em estabelecimentos comerciais instalados na cidade”, destaca o prefeito Mario Botion.

 O projeto determina, ainda, que é vedada a aquisição de bebidas alcoólicas, peças de vestuário, cigarros, eletrodomésticos, eletroeletrônicos, utilidades domésticas e outros itens que não se destinem diretamente ao ato de se alimentar.

 O Cartão Alimentar será instituído e gerido pelo Ceprosom, seguindo os critérios previstos, a serem regulamentados por decreto, após a lei entrar em vigor. Tendo em vista o crescente número de famílias chefiadas por mulheres, o cartão será expedido em nome da mulher responsável pela família, ou na sua ausência ou impedimento, no nome de outro responsável. “Essa também foi uma sugestão da vice-prefeita Erika Tank”, explica o chefe do Executivo.

 A distribuição do cartão alimentar seguirá os mesmos critérios da cesta básica, ou seja, para ter o benefício é necessário passar por atendimento com assistente social. A implantação do cartão vai depender de trâmites como aprovação pela Câmara, sancionamento e regulamentação do Executivo. Até lá, a cesta básica continuará sendo fornecida.

 DEMANDA

 No ano passado, devido ao período de pandemia, a demanda por atendimento de cesta básica aumentou. Foram mais de 25 mil cestas básicas compradas e distribuídas pelo Ceprosom. Além dessas cestas, o município arrecadou por meio da campanha Limeira Solidária mais de 160 toneladas de doações que também foram distribuídas à população. (Da redação portal Notícia de Limeira)


Compartilhe

Comentários

comentários