Por: Redação Notícia de Limeira | Publicado em 26 de março de 2021

Compartilhe

 A iniciativa deverá ser vinculada à Secretaria de Estado da Saúde e os objetivos são oferecer apoio psicológico aos pacientes com sequelas da doença

 O deputado estadual Murilo Félix (Podemos) protocolou nesta quinta-feira (25) na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) um projeto de lei que autoriza o governo a instituir o Programa Saúde Emocional à Vítimas da Covid-19 .

 A iniciativa deverá ser vinculada à Secretaria de Estado da Saúde e os objetivos são oferecer apoio psicológico aos pacientes com sequelas da doença e propiciar amparo psicológico aos familiares que vivenciam o luto pela perda de parentes, vítimas da Covid-19.

 O atendimento poderá ser realizado de forma virtual ou presencial por intermédio dos Centros de Atenção Psicossocial (CAP’s) e ainda por órgãos similares, a critério da Secretaria de Estado da Saúde. “Ainda não se sabe quais serão os efeitos psicológicos desta pandemia a longo prazo. Porém, no momento, o que se vivencia é uma situação que apenas os nossos ancestrais testemunharam, quando houve outras pandemias, como a da cólera, da peste negra e da gripe espanhola”, justifica Murilo.

 O deputado observa que hoje, graças ao desenvolvimento da ciência, a sociedade acompanha o trabalho diuturno de pesquisadores científicos, que criaram uma vacina em menos de um ano. “Sentimos orgulho do Instituto Butantã, que é o primeiro instituto de pesquisa no Brasil a produzir vacina contra a Covid-19. Entretanto, não se pode mitigar o fato de que milhares de pessoas continuam a ser afetadas diariamente pela doença”, acrescenta.

 O deputado lembra que após mais de um ano de pandemia, há um aumento avassalador de casos desta doença, atingindo indivíduos de todas as idades e recordes diários de óbitos. “Os fatos notórios relatados diariamente pelos meios de comunicação mostram famílias enlutadas por vários membros vítimas da doença. Tal situação tem gerado grandes sofrimentos aos indivíduos e a seus familiares, cujas consequências multiplicam-se em casos de transtornos mentais e depressão”, pontua.

 Murilo também menciona que muitas pessoas que sobrevivem levam longo de tempo para voltar a ter condições de trabalhar e exercer outros papeis na sociedade, e também precisam de apoio psicológico neste processo. (Da redação portal Notícia de Limeira)


Compartilhe

Comentários

comentários