Por: Redação Notícia de Limeira | Publicado em 30 de dezembro de 2021

Compartilhe

 O Ministério do Desenvolvimento Regional havia travado o repasse de recursos federais e as obras da fase final da barragem no córrego Cascalho estavam paralisadas

 A gestão do deputado federal Miguel Lombardi no Ministério do Desenvolvimento Regional conseguiu reverter decisão de descontinuidade da construção da represa de Santa Marina em Cordeirópolis. O ministério havia travado o repasse de recursos federais e as obras da fase final da barragem no córrego Cascalho estavam paralisadas. Em nova determinação, após ação do parlamentar, o ministério autorizou o projeto e ainda garantiu nova transferência financeira para conclusão da obra.

 “Além de recuperar a autorização para concluir a construção da represa Santa Marina, já está assegurado pela área técnica do MDR o primeiro pagamento no valor de R$ 1,2 milhão. É uma ótima notícia para famílias de Cordeirópolis. Sem força política em Brasília, é impossível tirar os projetos prioritários do papel”, falou o deputado Miguel.

 A segunda fase de investimento na obra está orçada em R$ 10 milhões segundo convênio 879.711/2018 disponível na Plataforma Mais Brasil. A primeira fase de construção foi financiada pela Caixa por meio do Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento, Finisa. A transferência total foi de R$ 14,5 milhões, com R$ 4,5 milhões de contrapartida desembolsada pela Prefeitura de Cordeirópolis (Contrato: 0518637-63). O investimento total se aproximada de R$ 25 milhões.

 PLANO DE TRABALHO

 A Coordenação de Obras Estruturantes do MDR exigiu do município ajustes no plano de trabalho. A solicitação foi comunicada à administração nesta quinta-feira (30). Técnicos da administração municipal buscavam reverter à decisão do órgão federal desde o primeiro semestre do ano. Mas não obtiveram êxito. A construção da represa de Santa Marina foi iniciada em julho de 2020.

 RELEVÂNCIA

 O plano de trabalho apresentado pelo município ao Ministério do Desenvolvimento Regional informa que a cidade enfrenta com regularidade escassez de água na última década. A represa trará segurança hídrica para os moradores. A capacidade máxima da barragem é de 1,5 milhão de metros cúbicos de água, em uma área de 730 mil metros quadrados, ou aproximadamente, 30 alqueires ou 47 campos de futebol. (Da redação portal Notícia de Limeira)


Compartilhe

Comentários

comentários